Diário Urbano: A Vida na Cidade

Dessecando Insetos

A estudante do curso de Ciências Biológicas da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Marla Juliane Hassemer, decidiu por em prática suas “aulas macabras” com insetos e o resultado dessa experiência foi um lindo gafanhoto gigante sequinho!

O gafanhoto da Marla tem mais ou menos 20cm de comprimento e 8cm de largura. Depois de seco sua aparência é bem mais escura, mas o resultado é incrível!

Para quem não é biólogo mais gosta de fazer experiências científicas, aqui vai algumas dicas da estudante. Mas é bom lembrar que isso não pode ser feito na cozinha de casa, certo?!

PASSO 1: Recolher o inseto e colocá-lo em um vidro (desses de conservas), bem limpo, contendo um pedaço de algodão embebido em clorofórmio. Fechar a tampa e vedar bem!

PASSO 2: Deixar o inseto no vidro por uns 4 dias.

PASSO 3: Secar o inseto em uma forno (desses de laboratório) a 100C por cerca de 1 hora, para retirar toda a água.

PASSO 4: Colocar o inseto sobre um pedaço de isopor e prender todas as extremidades com pequenos alfinetes, para que ele fique bem firme.

PASSO 5: Arrumar o isopor em uma caixa com tampa transparente e lacrar todas as bordas com fita adesiva transparente para não voltar a juntar umidade. E pronto!

Agora o novo experimento da estudante é criar uma lagartixa em cativeiro, com direito a refeições balanceadas e tudo!

Pobre lagartixa… Tudo em nome da ciência!

  • Oi Álvaro. A lagartixa não é minha, mas fica aqui registrado o seu comentário!

  • Como vai indo a criação de lagartixa? Já montou um terrário adequado?

  • Amor, nesse caso a ideia é só secar o bichinho morto, por isso é dessecar mesmo. Não tem retalhação ou “intervenção cirúrgica”. Beijos!

  • Amor, só corrigindo: é dissecar.

Você pode seguir qualquer um dos comentários através do RSS 2.0 feed.