Diário Urbano: A Vida na Cidade

Agrotóxicos

Pode-se dizer que a polêmica em torno do tema “agrotóxicos” surgiu em 1962 com a publicação do livro “Primavera Silenciosa”, da escritora norte americana Rachel Carson.

agroecologia, uma nova abordagem para a agricultura convencional a partir da visão integrada de questões agronômicas, ecológicas e socioeconômicas. Ou seja, a introdução de métodos alternativos de produção para o desenvolvimento da agricultura sustentável.

Em 1992, 174 países se reuniram no Rio de Janeiro para a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Eco92, para discutir diversos assuntos de interesse da humanidade, dentre eles a questão dos agrotóxicos.

Como resultado desse encontro surgiu a Agenda 21 Global, instrumento para o planejamento de políticas públicas, visando a construção de uma sociedade sustentável, com base na proteção ambiental, na justiça social e na eficiência econômica. O uso de agrotóxicos é tratado no capítulo 19 da Agenda 21 global.

A partir das diretrizes gerais definidas na Agenda 21 global foi elaborada a Agenda 21 brasileira, e a partir dela a Agenda 21 local, aplicada a cidades e comunidades, desenvolvida com a participação do poder público, das empresas e da sociedade civil (os cidadãos), visando a melhoria da nossa qualidade de vida.

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é quem trata das questões relativas ao uso e comercialização de agrotóxicos no território brasileiro e da legislação aplicada a esse tema, tudo isso para atender aos objetivos e necessidades da Agenda 21 local e da Agenda 21 brasileira.

Participe da Agenda 21 da sua comunidade e faça valer os seus interesses!

Você pode seguir qualquer um dos comentários através do RSS 2.0 feed.